Latim e Direito Constitucional

A filosofia é ciência de todas as coisas. Então todas as coisas são o objeto material da filosofia, visto que o objeto material de uma ciência é tudo aquilo de que se ocupa.

É ciência por causas mais elevadas. A procura das causas mais elevadas ou últimas vem a ser o objeto formal “quo” (=através do qual). Sim, o objeto foral “quo” de uma ciência é o aspecto que a ciência considera no seu objeto material. Por exemplo, a biologia estuda a vida enquanto é algo cujo sentido se procura (vale a pena viver? A vida tem valor para o homem? E a vida do irracional que valor tem?)

É ciência adquirida à luz natural da razão. A luz natural da razão é o objeto formal “sub quo” (= debaixo do qual) da filosofia, pois o objeto formal “sub quo” de uma ciência é a luz que ilumina a mente do pesquisador. Assim o objeto formal “sub quo” da teologia é a luz da fé; o da filosofia é o da razão.

História da filosofia

As Ideias platônicas são aquilo pelo que as coisas são constituídas em sua espécie, o Homem em si ou a Humanidade é o que faz com que Sócrates seja homem; o Belo em si ou a Beleza é o que faz com que Alcibíades ou Cálias sejam belos etc.; em outras palavras, as Ideias platônicas são a essência das coisas e de suas perfeições.

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).