Latim e Direito Constitucional

Os diversos tratados da Filosofia

A Filosofia prática tem por finalidade buscar o bem do homem. Visa a conhecer, não para conhecer, mas para dirigir a ação. Ora, a atividade humana pode ser considerada sob dois prismas:  o do fazer, isto é, o da obra a produzir (arte em geral e artes do belo em particular), que constitui o objeto da Filosofia da arte,  -  e o do agir, isto é, dos atos que o homem deve praticar para atingir seu bem absoluto e supremo, que constitui o objeto da Moral ou Ética.

Do ponto de vista apenas da especificação das ciências pelo seu objeto formal, a filosofia da arte entraria, evidentemente, na filosofia natural. Parece, no entanto, vantajoso manter aqui o ponto de vista do fim, que leva a aproximar (distinguido-as, embora) a filosofia do fazer e a do agir.

Convém observar que a Ética é uma ciência prática, mas não uma ciência essencialmente prática. Ao contrário, é essencialmente especulativa pelo método e pelo objeto, bem como pela distância, em que se mantém, da operação, do ato concreto da produção da obra. Entra, contudo, na categoria da arte, enquanto seu fim é definir as regras gerais da ação. (Mas seu fim não é aplicar tais regras: a aplicação é do domínio das artes essencialmente práticas).

História da filosofia

Aristóteles fez muito mais ainda. Fundou para sempre a verdadeira Filosofia. Se salvou o que havia de certo e de bom em todos os antigos pensadores da Grécia, é porque conseguiu estabelecer de modo definitivo a posse da realidade pela inteligência humana.

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).