Latim e Direito Constitucional

Compreensão e extensão II

Podemos considerar uma ideia do ponto de vista da compreensão e do ponto de vista da extensão. Esta distinção tem importância capital para a lógica formal.

A extensão é o conjunto de sujeitos ao qual uma ideia convém. Assim a ideia de flor convém ao cravo, à rosa, à margarida, à violeta...

Se compararmos entre si duas ideias, como a de ser corpóreo e a de homem, verificamos que quanto menos notas há na sua compreensão, tanto mais amplo é o seu campo de aplicação. E, ao contrário, a ideia mais rica em notas aplica-se a menor número de sujeitos. Assim, a ideia de ente corpóreo (que implica apenas quantidade sensível), aplica-se à pedra, à planta, ao cão, ao homem..., ao passo que a ideia de homem só se aplica a Pedro, Joana, Tiago, Maria... Donde a lei de Lógica:

“A compreensão de uma ideia está na razão inversa da sua extensão, e vice-versa”

História da filosofia

Os apologistas elevam a voz da razão e da consciência contra a arbitrariedade e injustiça das perseguições, defendem a nova fé contra a filosofia e a superstição pagã, armadas do poder supremo do Estado.

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).